A questão da educação na obra de Jean-Jacques Rousseau

Autor
José Benedito de Almeida Júnior
Ano
1998
Resumo / Abstract

O objetivo deste trabalho é analisar alguns aspectos relativos à questão da educação na obra de Rousseau. No primeiro capítulo, analisaremos a educação da natureza tal qual foi elaborada no Emílio. Nesta obra, Rousseau reflete sobre o desenvolvimento da criança e propõe objetos e formas de abordagem adequadas às diferentes idades. Desde exercícios físicos até a inserção de Emílio no mundo da moral e da política, momento fundamental, pois coroa todo o processo formando o homem da natureza. No segundo capítulo analisamos a educação pública exposta por Rousseau nas Considerações sobre o governo da Polônia e no Economia Política. Esta forma de educação está fundada nos mesmos princípios pedagógicos do Emílio, isto é,para cada idade um objeto e uma forma de abordagem que lhe é propícia. Contudo, a educação pública se diferencia da educação da natureza no que se refere ao seu caráter coletivo, mas fundamentalmente porque é própria aos povos livres, ao passo que aquela do Emílio não passa de um recurso para salvar uma alma em meio à corrupção. No terceiro capítulo, propomos uma interpretação da obra do legislador como sendo uma obra educacional, porque transforma os homens ao levar o amor de si a se transformar em amor à pátria, impedindo-o de se tornar amor-próprio. Este processo de transformação é o próprio espírito de sua obra tal como, segundo Rousseau, realizaram Moisés, Licurgo e Numa, pois suas leis tinham por objetivo afeiçoar os cidadãos entre si e à pátria. Este é o único meio de tornar um povo de fato livre, pois dá às almas uma forma nacional fazendo de um grupo de homens uma nação.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento
Filosofia