Intolerância precoce: a fome de zero a seis

Autor: 
Mara Selaibe
Ano: 
2009
Área do Conhecimento: 
Psicologia
Resumo / Abstract: 

Em um relatório de 1951, especialistas em saúde mental da Organização Mundial de Saúde reconheceram os cuidados com a infância e com a adolescência como fundamentais na constituição sadia da vida psíquica do adulto. Tentaram chamar a atenção de médicos, juristas e políticos para a necessidade de cada sociedade garantir aos pais a possibilidade de atender seus bebês e crianças gozando de condições para tal. Mais do que enumerar as exigências materiais a favor do bem-estar físico, esse relatório é notável por ter sublinhado a importância em se promover a saúde mental já a partir da gestação. Passados 58 anos desde essa declaração oficial da OMS, não há no Brasil, nem sequer em São Paulo, programas governamentais em número e qualidade suficientes voltados para a atenção primária à saúde psíquica. Essa tarefa permanece, prioritariamente, a cargo de cada família a depender de sua estrutura interna e suas posses.

Para acessar o texto clique aqui