História Oral - NEHO

Na Roda do Mundo-Mestre João Grande entre a Bahia e Nova York

Autor: 
Mauricio de Barros Castro
Ano: 
2007
Resumo / Abstract: 

Esta tese é sobre a globalização e o impacto da ancestral capoeira angola na moderna e cosmopolita cidade de Nova York. A capoeira angola é ume estilo tradicional que se refere à ancestralidade africana. É uma antiga arte marcial afro-brasileira ensinada por um velho capoeirista da Bahia chamado João Grande. Ele possui uma escola na Rua 14, em Manhattan, e já recebeu diversas homenagens nos Estados Unidos. Mestre João Grande chegou em Nova York em 1990 e permanece ensinando seu conhecimento antigo para alunos de toda parte do mundo, pessoas atraídas pela multicultural Nova York. Sua história de vida é o foco dessa tese. Neste sentido, a pesquisa é uma tentativa de entender a importância das tradições em nossa vertiginosa sociedade moderna. Mais do que isso, tenta refletir sobre o papel da capoeira no processo histórico brasileiro, diante dos conflitos entre a ancestralidade africana e a construção da identidade nacional.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Construção da identidade sem terra: temas e traumas

Autor: 
Suzana Lopes Salgado Ribeiro
Ano: 
2007
Resumo / Abstract: 

Este trabalho propõe um estudo sobre o processo de construção de identidades, no MST. A pesquisa de campo acompanhou o dia-a-dia da Marcha à Brasília, realizada em 2005. O texto é composto por uma apresentação de oito narrativas, seguidas de uma descrição do trabalho de campo. Na segunda parte, apresenta-se uma explicação teórica e metodológica conceitos como, experiência, memória, narrativa e identidade, sempre tentando explicar como esses conceitos são relacionados com o fazer da história oral. No interior das discussões surgem os embates em torno da construção das identidades dos membros do Movimento e a visão identitária gestada por suas lideranças.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Entre O Líbano e o Brasil: Dinâmica Migratória e História Oral de Vida

Autor: 
Samira Adel Osman
Ano: 
2007
Resumo / Abstract: 

Essa pesquisa tem como tema central a História Oral de Vida de imigrantes libaneses e seus descendentes nascidos no Brasil, bem como de brasileiras não-descendentes, que empreenderam o retorno ao Líbano, cujo fluxo foi verificado com maior intensidade ao final da década de 1980. A problemática geral dessa pesquisa é verificar e analisar a concretização do retorno, a partir da análise dos fenômenos de readaptação e adaptação, reinserção e inserção, destacando-se as dificuldades, os dilemas e os conflitos decorrentes desse ato. Mais do que a ocupação de um espaço geográfico, devemos considerar que o retorno e restabelecimento nos vilarejos de origem significam uma apropriação (ou criação) cultural do lugar (aqui entendido em sua dimensão subjetiva), construindo-se sentimentos de identidade, de pertencimento ao grupo que, por meio de suas ações, controlam e influenciam pessoas, estabelecem relações, determinam valores e normas a serem seguidas. Considerando identidade e cultura como processos dinâmicos, em constante elaboração e reelaboração, há que se verificar que a reinserção e inserção ao país implicarão renúncias, escolhas e seleções, que serão negociadas pelo migrante em relação ao grupo de origem.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Nazismo Tropical? O Partido Nazista no Brasil

Autor: 
Ana Maria Dietrich
Ano: 
2007
Resumo / Abstract: 

O partido nazista no Brasil (1928-1938) estava inserido em uma rede de filiais deste partido instaladas em 83 países do mundo e comandadas pela Organização do Partido Nazista no Exterior, cuja sede era em Berlim. O grupo instalado no Brasil teve a maior célula fora da Alemanha com 2900 integrantes sendo estruturado de acordo com regras e diretrizes do modelo organizacional do III Reich. A realidade brasileira interveio nesse processo causando o que chamamos de tropicalização do nazismo. A história do desenvolvimento da ação do partido no Brasil será analisada nos 17 estados brasileiros onde estava presente, tendo como contexto histórico a complexidade das relações Brasil e Alemanha durante o período da Era Vargas, a relação com o integralismo e eventuais conflitos raciais com a população brasileira e com judeus imigrados. Ênfase será dada ao papel do chefe do partido nazista no Brasil, Hans Henning von Cossel, considerado como Führer tupiniquim, tendo como fonte entrevistas com seus familiares. Contém extenso material iconográfico de documentos de época.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Palestra Itália e Corinthians: quinta coluna ou tudo buona gente?

Autor: 
Alfredo Oscar Salum
Ano: 
2008
Resumo / Abstract: 

O presente trabalho analisa a trajetória da Sociedade Esportiva Palmeiras e do Sport Clube Corinthians Paulista entre 1910-1942. Esse período engloba as disputas internas, os conflitos e negociações para serem aceitos nos campeonatos oficiais e o processo de nacionalização durante o Estado Novo.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Tropas em protesto: o ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros no ano de 1997

Autor: 
Juniele Rabêlo de Almeida
Ano: 
2010
Resumo / Abstract: 

Este trabalho propõe um estudo sobre o ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros, ocorrido ao final do primeiro semestre do ano de 1997. As manifestações dos praças da Polícia Militar de Minas Gerais se tornaram um estandarte tático para a ação coletiva dos PMs de diversas localidades do território nacional. Quatorze estados integraram o ciclo nacional de protestos: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul; e, sem movimento organizado, São Paulo e Rio de Janeiro. Narrativas, em história oral de vida, revelaram o diálogo entre as especificidades regionais e uma cultura policial militar nacionalmente constituída. Múltiplas questões, para o estudo da história dos movimentos sociais e da segurança pública no Brasil, foram problematizadas por meio de quatro redes de análise que indicam o repertório da ação coletiva policial militar: 1ª rede) Policiais militares de Minas Gerais: o início do ciclo de protestos; 2ª rede) Policiais militares de Alagoas, Ceará, Pernambuco e Pará: conflitos armados e ameaças; 3ª rede) Policiais militares da Paraíba, Bahia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul: acampamentos e negociações; 4ª rede) Policiais militares do Rio Grande do Sul, Piauí, Goiás, São Paulo e Rio de Janeiro: manifestações disciplinadas e articulações políticas à margem do ciclo de protestos. A crise policial militar brasileira representou conjuntura em que elementos próprios da corporação se desgastaram, mas não o suficiente para minar as bases institucionais. O trabalho indica possíveis conexões entre uma cultura policial militar, expressa pelos pilares militarizantes referentes a valores e normas institucionais, e preceitos relacionados à democratização que se passa nas sociedades contemporâneas.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Caminhos da Imigração Árabe Em São Paulo: história oral de vida familiar

Autor: 
Samira Odel Osman
Ano: 
1998
Resumo / Abstract: 

O presente trabalho tem como tema de estudo a Imigração Árabe em São Paulo, através da História Oral de Vida. Inicialmente, pretendeu-se uma contextualização do modo de vida desse contingente antes do período imigratório, os fatores que motivaram a vinda desses imigrantes, o contexto em que se deu a sua vinda, quais foram os países e as regiões de origem, as condições de vida oferecidas e as atividades econômicas praticadas em seus países. Ainda dentro dessas determinações iniciais, foi necessário estabelecer as balizas cronológicas da vinda desses imigrantes para o Brasil; se partiram sós ou acompanhados da família e o grupo social ao qual pertenciam; as tendências religiosas entre os imigrantes. Numa segunda etapa, pretendeu-se retratar o caminho percorrido pelos imigrantes ao optarem pela saída de seu país ou região de origem, seguindo o destino da América, na América pelo Brasil, no Brasil por São Paulo.

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Padre Vieira: sonhos proféticos, profecias oníricas. O tempo do Quinto Império nos sermões de Xavier Dormindo

Autor: 
Luís Filipe Silvério Lima
Ano: 
2000
Resumo / Abstract: 

O objetivo desta pesquisa é investigar os sonhos proféticos dentro dos sermões de Xavier Dormindo do jesuíta português Antonio Vieira (1608-1697), observando a questão do tempo. Além de questões pouco abordadas nos estudos vieirenses, os sonhos,a profecia e o tempo se configuram como elementos para uma compreensão do V Império, matéria à qual Vieira se dedicou durante grande parte de sua vida e possível para a confecção de uma "Teoria Geral do Pe. Vieira". A leitura desses sermões apresenta problemas na clivagem entre as interpretações histórica e literária, devido a própria especificidade do documento, o sermão vieirense. Nesse sentido, estamos propondo uma análise que perceba os aspectos sincrônicos, sem contudo perdera diacronia própria do estudo histórico. Em relação à matéria onírica, fica o problema de como caracterizar esses sonhos proféticos dentro da concepção de tempo vieirense: se meros recursos de convencimento ou se inseridos dentro de uma proposta de projeto teológico-retórico-político como evidências do Advento. Além disso, é necessário refletir se há a constituição, na obra sermônica do jesuíta, de uma onirologia própria, clivada pelo Quinto Império. A relevância do tema e do estudo de Vieira articula-se dentro de uma história social da cultura e das idéias, preocupada com a construção do clima intelectual, religioso e político do século XVII em Portugal.

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

A militância antifascista: comunistas brasileiros na Guerra Civil Espanhola (1936-1939)

Autor: 
Thais Battibugli
Ano: 
2000
Resumo / Abstract: 

Esta Dissertação visa a conhecer a trajetória da militância antifascista de um pequeno, mas significativo grupo de comunistas brasileiros (14 militares, 2 civis) que lutou na Guerra Civil Espanhola (1936-1939). A pesquisa tem como marco inicial o ano de 1935, justamente quando a política de frente popular antifascista do PCB (Partido Comunista do Brasil) começou a dar seus primeiros frutos através da ANL (Aliança Nacional Libertadora). Além disso, alguns dos comunistas que iriam à Espanha, iniciaram sua prática política nas fileiras aliancistas. O ano de 1947 marca o final da pesquisa, porque naquele momento o governo brasileiro (re)iniciou a repressão ao comunismo. Assim, o PCB foi posto na ilegalidade, provocando o fim de sua política de alianças (contra o fascismo e pela democracia). Desse modo, a militância antifascista se esvaiu.

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social

Os sapateiros na cidade de São Paulo: trabalho e militância

Autor: 
Isabel Regina Felix
Ano: 
2001
Resumo / Abstract: 

Este é um estudo sobre os sapateiros na cidade de São Paulo, no período compreendido entre 1930 e os nossos dias. Por meio de fontes escritas, bibliográficas e entrevistas de história oral, a pesquisa busca identificar como se caracterizam a produção de calçados e o profissional sapateiro, bem como o posicionamento destes quanto aos assuntos ligados ao trabalho e à militância política. As histórias de vida de pessoas que pertenceram ou pertencem a essa categoria profissional compõem o ponto central do estudo. Mais do que informações acerca da profissão e da produção calçadista, trazem à luz a maneira como esses indivíduos vivem, pensam e agem, o sentimento com relação ao "ser sapateiro" e a interpretação que fazem da realidade.

 


 

Área do Conhecimento: 
História Social
Divulgar conteúdo