Para defender programa De Braços Abertos, comunidade prepara festival em SP

SÃO PAULO

Para defender programa De Braços Abertos, comunidade prepara festival em SP

Contra proposta de Doria de liquidar a política de acolhimento criada na gestão Haddad, grupo quer divulgar as realizações e impactos positivos da ação na vida dos usuários de drogas
por Rodrigo Gomes publicado 13/12/2016 09:16, última modificação 13/12/2016 09:21
 
DIEGO PADGURSCHI/FOLHAPRESS
braços abertos.jpeg

Beneficiários do programa atuam em frentes de trabalho, recebendo ajuda de custo, moradia e alimentação

São Paulo – Um festival em defesa da continuidade do programa De Braços Abertos – que tem por base a inclusão social e familiar no atendimento a dependentes químicos da região do centro da capital conhecida como cracolândia –  está sendo organizado por artistas, trabalhadores e beneficiários, para o próximo sábado (17), na Praça Julio Prestes, das 12h às 19h. A ação busca chamar atenção da sociedade para os impactos positivos do programa e rechaçar a proposta do prefeito eleito da capital paulista, João Doria (PSDB), de encerrá-lo definitivamente e adotar a proposta do Recomeço, ação do governo Geraldo Alckmin (PSDB) que propõe a internação compulsória como tratamento à dependência química.

"Comprometidos em lutar pela continuidade de um modelo de cuidado não higienista e pela construção de políticas públicas inclusivas, usuários, trabalhadores, militantes e artistas organizaram a festa", diz a convocação do evento. O evento vai contar com a apresentação de grupos independentes e de beneficiários do programa.

Desde  campanha eleitoral Doria dá declarações sobre o encerramento do programa. "Primeiro, nós não vamos continuar com o programa Braços Abertos (sic), não é um bom programa para a cidade. Nós vamos adotar o programa Recomeço. Este programa propõe a internação daqueles que são vítimas do crack, que são psicodependentes, para que eles nesta internação, com tratamento clínico, eles podem ficar afastados das drogas", disse Doria, em setembro, ignorando os resultados do De Braços Abertos.

O programa foi criado em 2014 pelo atual prefeito Fernando Haddad (PT). Baseado no princípio da redução de danos, não é exigido o abandono total do uso de drogas como condição para ingresso. A ideia é que o beneficiário retome a vida comum, com moradia, trabalho e contato com a família, e então se sinta estimulado a buscar tratamento médico – disponível na ação – por vontade própria.

As ações são desenvolvidas na região conhecida como Cracolândia, na Luz, centro de São Paulo, por meio de uma parceria entre as secretarias municipais de Saúde, Assistência e Desenvolvimento Social, Trabalho e Empreendedorismo, Segurança Urbana, Desenvolvimento Urbano e Direitos humanos e Cidadania.

Pelo De Braços Abertos, os cerca de 500 usuários atendidos recebem moradia, alimentação e acesso a serviços da assistência social e de saúde, e atuam em frentes de trabalho, recebendo ajuda de custo. De acordo com uma pesquisa realizada pela Plataforma Brasileira de Políticas sobre Drogas, 90% deles tiveram melhora nas condições de vida. Além disso, 88% reduziram o consumo de drogas, 83% estão em tratamento de saúde e 54% retomaram o contato com a família.

"Estes resultados impulsionam a defesa do Programa, do cuidado em liberdade e da Redução de Danos. O festival pretende ocupar a rua para trazer o debate para a sociedade civil: não se trata de prender ou internar, mas de garantir direitos", defendem os organizadores do evento.