A instituição para o sujeito: metapsicologia da prática psicanalítica na instituição

Autor: 
Paulo Keishi Ichimura Kohara
Ano: 
2009
Resumo / Abstract: 

O presente trabalho tem por objetivo problematizar as relações entre psicólogo, paciente e situação institucional nos atendimentos de base psicanalítica realizados no interior de instituições heterogêneas à psicanálise. Nossa investigação parte das seguintes questões: a) como a dimensão institucional é apreendida pelo sujeito e como essa apreensão se reflete na situação analítica; b) como a relação analítica se insere num contexto institucional estranho e quais as conseqüências dessa inserção; c) quais os procedimentos técnicos possíveis para a prática do psicanalista nessas condições. Discutimos, então, quais as condições clínico-teóricas que ora possibilitam, ora não, o exercício da prática psicanalítica nas instituições. A partir de textos da metapsicologia investigamos quais as condições da transferência na instituição e seus desdobramentos tanto para o paciente quanto para o terapeuta e qual a influência das condições institucionais na dinâmica inconsciente instaurada entre terapeuta, paciente e situação analítica. Discutimos como a transferência se manifesta no interior das instituições, quais são os recursos que o psicanalista dispõe para trabalhar com essa dinâmica transferencial, como podemos diferenciar metapsicologicamente as instituições das organizações, como se constitui e se configura a dinâmica inconsciente entre o sujeito e as instituições sociais, como a psicanálise se caracteriza também como uma instituição nesses atendimentos. Por fim, nos propusemos a fazer um ensaio, com o auxílio de duas vinhetas clínicas, sobre como a investigação conceitual que realizamos poderia aparecer em casos singulares de atendimentos em instituições, oferecendo alternativas de compreensão para casos em que, de alguma forma, a condição institucional ofereceu resistência ao processo. Concluímos que o trabalho nas instituições exige do psicanalista uma disposição de analisar sua própria condição de pertencimento a elas, bem como a compreensão de que a cena transferencial não se localiza apenas no setting de atendimento. Como suporte transferencial, a instituição oferece também a uma possibilidade singular de elaboração das pulsões parciais, na medida em que pode ser depositária de uma unidade de uma potência que extrapolam as possibilidades das condições clássicas de enquadramento. Frente às limitações e alternativas, a identidade de uma prática psicanalítica nas instituições configura-se como uma atuação possível, porém desafiadora aos psicanalistas.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Área do Conhecimento: 
Psicologia