Eduardo Castro

O objetivo deste trabalho é analisar como se realizam os processos de espacialização e de territorialização das famílias assentadas na Fazenda Ipanema, localizada no município de Iperó-SP. Para alcançar tal objetivo, elegemos o trabalho como categoria central de nosso estudo. Trata-se de uma categoria fundamental na análise marxista e que está intimamente ligada com a vida, em sentido amplo, para as populações camponesas. A partir da descrição e análise das formas diversas de trabalho encontradas entre as famílias assentadas, realizadas seja no campo ou na cidade, avançamos no entendimento de como o espaço do lote e do assentamento é apropriado e construído pelos assentados, constituindo um território camponês em construção. A partir da luta pela terra e por manter-se nesta, trabalhando e vivendo com suas famílias, culminando no processo de territorialização, esse sujeito histórico, social e político se constitui como classe no contexto da formação social brasileira. Faz-se classe na medida em que se identifica com uma luta mais ampla, pela reforma agrária e por condições de vida e de trabalho dignas no meio rural. O caso estudado se insere no contexto da discussão sobre a reforma agrária e do papel do campesinato na sociedade moderna, bem como de sua luta pelo reconhecimento do Estado, via políticas públicas, da sua importância em nossa sociedade.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Élio Garcia Duarte

Este trabalho tem por objetivo o estudo dos movimentos no campo, ocorridos em Goiás, nos últimos vinte anos. Destaca o processo de ocupação de propriedades improdutivas como forma de pressão junto ao governo, para que sejam desenvolvidas políticas visando a agilização da reforma agrária. Procura ressaltar a importância dos elementos culturais dos camponeses na organização da luta pela terra. Baseado no método regressivo-progressivo, proposto por Henri Lefebvre, o estudo parte da constatação da realidade atual no campo, frente ao avanço do capitalismo, e procura buscar a gênese dos conflitos em Goiás, fazendo um retrospecto dos movimentos ocorridos desde os anos 50. Depois, volta ao presente, analisando os movimentos mais recentes, cuja direção parte dos próprios trabalhadores com o apoio de entidades mediadoras. A análise desta luta é verticalizada através do estudo da situação e da história de três projetos de reforma agrária, entre os vários já realizados em Goiás

 


 

Eloísa Maria Neves Silva

O trabalho tem por objetivo documentar e analisar o processo de constituição das escolas de samba e do carnaval paulistano a partir do ponto de vista da mulher negra. Através da metodologia proposta pela história oral registrei histórias de vida em quatro importantes escolas de samba de São Paulo: a Camisa Verde e Branco, a Vai Vai, a Unidos e Peruche e a Nenê de Vila Matilde. Família, trabalho e samba surgiram nos relatos como instâncias norteadoras das experiências vividas. As narrativas descrevem em detalhes a participação feminina na organização da população negra tanto no espaço doméstico quanto no desenvolvimento de atividades relativas ao lazer, como por exemplo, as escolas de samba e o carnaval. Concluí que as mulheres, independentemente das diferentes funções exercidas, foram imprescindíveis e não meras coadjuvantes do processo histórico.

 


 

Everson Machado

O tema da religião adquiriu uma importância cada vez maior nos livros de Hobbes, a ponto de dar o nome e ocupar metade de seu livro mais famoso, o Leviatã. No entanto, em sua classificação das ciências, Hobbes exclui todos os temas da religião. A questão então é saber como um autor que tem um discurso inflexível sobre a ordem das razões trata de um assunto que, de antemão, foge ao saber filosófico. Hobbes apresenta duas versões de seus princípios de hermenêutica. Em ambas as versões, o resultado político é o mesmo: a última palavra sobre as Escrituras deve ser do soberano. No entanto, as conseqüências históricas são bastante diversas. A primeira versão encontra-se no De Cive, de feição humanista, enfatiza o aspecto histórico-literal do texto e não desconsidera a tradição. A segunda, a do Leviatã, assemelha-se ao modelo protestante de leitura interna e por analogia, mas também pode ser assimilada ao discurso filosófico dedutivo. A leitura humanista termina por interditar a interpretação das Escrituras como algo superior às possibilidades de conhecimento humano, sendo apenas possível confiar em uma autoridade cujo fundamento não seja humano, a saber, a igreja anglicana. A leitura filosófico-protestante é desenvolvida em circunstâncias históricas diferentes - em que a igreja não pode mais ser o fundamento da autoridade das Escrituras - e tem conseqüências diversas, resultando em uma leitura radical, contra a igreja visível. Contudo, as duas   interpretações - a humanista, historicizante, e a leitura filosófica, lógica complementam-se e apontam para um outro sentido de compreensão da história

 


 

Fábio Bezerra de Brito

O objetivo central da dissertação consistiu em produzir um conjunto de histórias orais de vida com funcionários da Fundação Estadual de Bem-Estar do Menor de São Paulo - FEBEM-SP. Essa instituição, criada em 1973 para o atendimento de crianças e adolescentes carentes, abandonados e infratores, tem uma história conturbada, marcada por tentativas frustradas de reformas de seu modelo de contenção, fugas, rebeliões e violações dos direitos humanos dos internos. Por meio das narrativas, pretendeu-se iluminar a complexidade e diversidade das experiências vividas por funcionários de diferentes setores da instituição, aprofundando o conhecimento sobre os pontos de vista desses sujeitos normalmente retratados de modo estereotipado e superficial. O processo de coleta e transcrição das entrevistas foi desenvolvido segundo os pressupostos técnicos e metodológicos da história oral de vida, envolvendo a realização de entrevistas não-diretivas e a elaboração da versão escrita das gravações. As narrativas orais são consideradas como documentos intencionalmente produzidos e condicionadas por um determinado contexto social. Os narradores elaboraram versões do passado de acordo com suas concepções de mundo, visão sobre a instituição e preocupações em relação à construção de uma imagem pessoal e pública.

 


 

Fabíola Holanda Barbosa

Esta pesquisa buscou pensar as relações de experiência, memória e oralidade como dimensões de uma linha específica de história oral que cada vez mais se pretende autônoma e pública. Essas relações foram feitas a partir de duas formas narrativas: uma contada - construída em colaboração durante entrevistas com procedimentos dessa história oral e outra narrativa cantada - composição musical que Adálio Pereira de Oliveira, um nordestino na Amazônia, fez para contar sua história de vida. Essa linha de história oral valoriza os aspectos subjetivos das experiências narradas e possui pressupostos epistemológicos claros: a colaboração, a mediação e a dimensão pública do texto produzido.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Fernanda Paiva Guimarães

A presente dissertação trata das narrativas de experiências pessoais de velhos sambistas. O corpus documental é constituído de sambas e narrativas feitos por participantes dos conjuntos musicais chamados Velha Guarda da Portela e Velha Guarda do Império Serrano. As histórias de vida de sambistas e pastoras, produzidas adotando os procedimentos da história oral, expõem temas polêmicos afeitos à tradição e à modernização dos desfiles. Sambas gravados por essas duas Velhas Guardas funcionam como apoio e complemento, tomados como documentos que permitem acessar o discurso mnemônico vinculado a um discurso dominante sobre o samba no contexto cultural carioca dos anos 2000. A partir das vivências e das visões dessas pessoas sobre a evolução das escolas de samba, procura-se entender o papel dos grupos aos quais pertencem, localizados simbolicamente entre as raízes e os desafios da atualização das agremiações carnavalescas.

Para acessar o texto clique aqui

 


 

Francisco Paulo Bucieri Júnior

O trabalho analisa o livro modernista de Sérgio Buarque de Holanda, Raízes do Brasil. Coteja-se-o com os artigos de juventude, em pesquisa genética. Depois, procura-se explicitar o que o ensaio já continha do plano da obra do historiador maduro, interessado na trama diária, seja no campo material ou no das idéias, seja em Caminhos & Fronteiras ou em Visão do Paraíso. O objetivo foi o de, pelo menos, recuperar certas categorias de explicação para o objeto a que Sérgio viria a dar historiografia rigorosa: a vaidade, a vergonha, o desterro - enquanto historiador do Brasil.Em suma, a dissertação versa sobre o contexto cultural, político e econômico dos anos 20 e 30; segue uma linha cronológica na primeira parte, "A crônica de sucessos", retratando os anos de 1920 a 1937. A segunda parte, "Brasil", "História de", aproxima textos de outros autores que estudaram a especificidade do sistema brasileiro em relação aos padrões do progresso material, que era um tema modernista e se estendeu à política e à economia, ganhando a opinião pública, as massas, ao tempo do Imperialismo norte-americano. Comentando a afirmação "somos ainda hoje uns desterrados em nossa época", a pergunta mais geral é: brasileiros, até quando sereis escravos da vossa própria história

 


 

Glauber Cícero Ferreira Biazo

A pesquisa consiste na investigação da trajetória política de Luiz Carlos Prestes entre as décadas de 1920 e 1980. Através do levantamento de manifestações públicas de suas idéias em artigos, falas, manifestos e entrevistas, em sua maior parte impressas, procurou-se identificar as principais referências teóricas empregadas por Prestes em sua atividade política e avaliar a formação das suas concepções político-ideológicas, particularmente no que diz respeito à problemática da revolução brasileira, historicizando as mudanças temáticas e estratégicas propugnadas pelo personagem ao longo do tempo.

 


 

Helio Braga da Silveira Filho

A educação cada vez mais precisa de práticas voltadas para a formação de alunos conscientes e comprometidos com sua realidade histórica, a fim de que venham se capacitar a responder as demandas político-sociais. Sintonizada com esta perspectiva, esta pesquisa apresenta uma análise sobre a experiência de um grupo de professoras do Ensino Fundamental da rede pública a partir de seu trabalho docente com o tema da história local, que tem justamente o objetivo de procurar assegurar o tipo de educação apontado acima. Ao longo de seu desenvolvimento sustenta a posição de que para que se possa construir uma educação com este contorno é necessário trabalhar com a noção de escola democrática, sem o que será impossível estabelecer qualquer prática educativa voltada para a direção do aluno e de seu contexto histórico. Em seguida, constrói um entendimento dos conceitos de História e de história local, pois sua compreensão é imprescindível para se alcançar um eficiente resultado dessa proposta educacional. Apresenta, ainda, o contexto político-educacional do município de Osasco, por ser o local em que a prática das professoras aqui estudada se realiza. Por fim, descreve o quanto as experiências de vida de professores marcam a construção de sua prática docente, possibilitando o estabelecimento das condições de sustentação de seu trabalho, como no caso aqui estudado, aquele voltado à história local. A fim de atender aos seus objetivos, este estudo recorreu, enquanto recursos metodológicos, à leitura de variada fonte bibliográfica, tendo como principal referência o pensamento de Paulo Freire, assim como ao depoimento das professoras por meio de um questionário e de uma entrevista, como instrumentos de levantamento de dados.

Para acessar o texto clique aqui